24 de setembro de 2018

Candidatos ao governo prometem apoiar a indústria 4.0 e política de geração de emprego e renda

José Maranhão (MDB), João Azevêdo (MDB) e Lucélio Cartaxo (PV) participaram de sabatina na FIEP, em Campina Grande.

JOSUSMAR BARBOSA

 

O “Diálogo da Indústria com os Candidatos ao Governo” reuniu, nesta segunda-feira (24), à tarde, José Maranhão (MDB), João Azevêdo (MDB) e Lucélio Cartaxo (PV), no auditório da Federação das Indústrias do estado da Paraíba (FIEP). Os postulantes ao Palácio da Redenção prometeram apoiar a indústria 4.0, melhorar a infraestrutura do estado e garantir política de incentivos para assegurar a geração de mais empregos e renda

A indústria 4.0, como é conhecida a integração do mundo físico e virtual por meio de tecnologias digitais, vai mudar a forma de produzir, gerar novos negócios e transformar o mercado de trabalho. O uso de recursos como internet das coisas, big data e inteligência artificial também pode aumentar a produtividade das empresas.

O evento foi aberto pelo 1º vice-presidente da FIEP, Magno Rossi, que apresentou as principais propostas da indústria paraibana e entregou o documento aos candidatos. Cada candidato teve 20 minutos para fazer a exposição das suas propostas de governo e respondeu as questões dos empresários. O candidato Tárcio Teixeira (PSOL) foi convidado, mas não compareceu ao evento.

José Maranhão

O primeiro a participar da sabatina foi José Maranhão. O candidato do MDB disse que está empenhado no plano de governo para promover e ampliar a indústria da Paraíba. “Existe nesse esforço um viés social. Não se concebe no mundo inteiro uma forma mais eficaz e eficiente de se gerar emprego, através do desenvolvimento econômico. Mais indústria, mais setor de serviço e comércio e mais emprego. Isso é uma lei econômica e acontece automaticamente”, frisou.

José Maranhão ressaltou que é preciso buscar a modernização para que a indústria seja competitiva, possa enfrentar com seus concorrentes, mas o estado tem que fazer a sua parte. Qual é a parte do Estado? Implantar uma política de incentivos fiscais que priorize a indústria voltadas para a modernidade e a tecnologia. Esse é o século da tecnologia, a indústria 4.0”, destacou.

Maranhão ainda pregou a redefinição vocacional do Porto de Cabedelo. No plano de governo, o candidato propõe a criação da Empresa Paraibana de Empreendedorismo, uma agência de fomento construída a partir da fusão com o Empreender Paraíba.

João Azevêdo

Depois, foi a vez de João Azevêdo. O candidato do PSB afirmou que o segmento privado é o grande gerador de empregos. “Nós precisamos dotar o estado cada vez mais das condições de estabilidade econômica, segundo as condições de infraestrutura que possa captar mais empresas e gerar mais empregos. Isso é uma lógica óbvia da economia”, destacou João Azevedo.

Ele ressaltou que a atual gestão, da qual foi secretário, resolveu cada eixo da infraestrutura, garantindo a matriz energética, a logística para transporte (estrada) e segurança hídrica. O socialista ainda prometeu, caso seja eleito, construir um centro de convenções, de feira e exposições em campina Grande, além de ampliar o número de escolas técnicas estaduais para formar mão de obra qualificada para o setor industrial. O candidato também assegura apoio à indústria 4.0.

No programa de governo, José Azevedo promete implementar os usos previstos do mapa de oportunidades de potenciais econômicos da Paraíba conforme visão e modelo de gestão constantes do Plano de Desenvolvimento Econômico e Social sustentável dos arranjos produtivos (PLADES).

Lucélio Cartaxo

Lucélio Cartaxo disse que a indústria representa quase 20% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado da Paraíba. “Portanto, nós vamos fazer um governo onde o diálogo vai ser permanente com a indústria. Partindo do princípio de que a política de emprego e renda passa necessariamente pela indústria, vamos fazer um governo eficiente onde a gente não cobre imposto a altura do que está fazendo hoje”, asseverou Lucélio, que também garante apoiar a indústria 4.0.

O candidato do PV ainda prometeu caso, eleito, indicar o secretário de Desenvolvimento Econômico a partir de uma lista tríplice apresentada pelos setores produtivos da Paraíba. “No nosso governo, o investidor será visto como um parceiro, como alguém que pode contribuir para o
desenvolvimento do Estado”, frisou Lucélio, que também garantiu o fortalecimento dos distritos industriais. .

No programa de governo, ele promete que a Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep) será reformulada, enfocando a atração de novos empreendimentos, e vai abrigar o Investe PB, um núcleo com a participação de consultores oriundos do serviço público e da iniciativa privada, a fim de proporcionar um ambiente de negócios atrativo e com uma maior capacidade de resolver os gargalos comuns aos empreendedores que estejam instalados ou que queiram investir na Paraíba.