28 de outubro de 2018

Doze eleitores são detidos na Paraíba por crime eleitoral

A Justiça Eleitoral registrou, até às 16h55 deste domingo (28), um total de doze ocorrências por crime eleitoral. Desse total, seis foram presos e outros seis foram registradas sem prisão. Em João Pessoa, dois eleitores foram presos no período da manhã. Em um dos casos, que ocorreu na Escola Municipal Davi Trindade, em Mangabeira, o eleitor foi detido após colar um adesivo de um dos candidatos à presidência na urna eletrônica.

Conforme a capitã Carla, da Polícia Militar, o eleitor foi flagrado no momento em que colava o material de campanha e detido. Ele foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal, em Cabedelo, na Grande João Pessoa.

O segundo caso envolveu um eleitor preso após ser flagrado filmando a urna eletrônica com um celular no momento da votação. O caso aconteceu na Escola João Navarro Filho, no bairro Valentina Figueiredo e a prisão foi feita pelo próprio juiz eleitoral. Não é permitido levar aparelhos eletrônicos para a cabina de votação.

Segundo a chefe de cartório da 70ª Zona Eleitoral, Alice Mesquita, o eleitor foi orientado que não poderia entrar com equipamentos eletrônicos, foi questionado se estava com algum e respondeu que não.“No momento em que ele estava votando ele foi pego filmando todo processo de votação. Isso configura crime eleitoral, foi comunicado ao juiz, que se dirigiu à seção eleitoral e tomou as providências cabíveis”, disse Alice.

O eleitor também foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal, onde vai ficar detido durante todo o dia. Ele vai assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência e posteriormente vai responder ao processo, que está em análise na Justiça Eleitoral.

Em Cajazeiras, no Sertão, duas pessoas foram presas.  Uma pessoa foi presa no município de Belém; e outra em São José de Piranhas, por estar distribuindo adesivos, o que configura propaganda irregular.

Campina Grande

Na Rainha da Borborema, uma mulher foi presa, no bairro Três Irmãs. De acordo com o juiz da 17ª Zona Eleitoral e Coordenador da Propaganda de rua, Horácio Ferreira de Melo Júnior, a eleitoral foi detida na Escola Estadual Irmã Stefanie, após ser flagrada fotografando seu voto. Ela ainda teria agredido um fiscal da Justiça Eleitoral. A mulher foi levada para a Delegacia da Polícia Federal.

Ainda em Campina Grande, outra mulher foi detida e conduzida à sede da Polícia Federal, depois de ter  ter sido flagrada na seção 88, no Colégio Estadual da Prata, tentando tirar uma foto da urna eletrônica.

No sábado (27), um jovem tinha sido detido suspeito de invadir uma zona eleitoral e violar três urnas eletrônicas na tarde deste sábado (27), em Campina Grande. O caso aconteceu no Colégio Imaculada Conceição, conhecido como Colégio das Damas, 16° zona eleitoral da cidade. O jovem também agrediu um policial militar que estava no local.

Foto: Divulgação/TSE

Apresentador de TV é denunciado ao TRE

O ex-apresentador de televisão Emerson Machado também foi denunciado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por uma postagem em uma rede social durante a votação, neste domingo.

Na publicação, Machado exibe seu voto e acena com a mão fazendo referência a uma arma. Nas eleições deste ano, Emerson Machado se candidatou ao cargo de deputado federal, com a mesma bandeira de liberação de armas ao cidadão, mas não se elegeu.

A denúncia, protocolada às 12h20 deste domingo, está sob análise da Justiça Eleitoral.