28 de outubro de 2018

Eleitor toca fogo em urna eletrônica e capim é jogado em seção eleitoral

Neste domingo (28), foram registrados casos no país de eleitor tocando fogo em urna eletrônica e outro jogando capim em seção eleitoral. Em Fortaleza, um homem foi preso, na tarde deste domingo (28), após atear fogo e destruir uma urna eletrônica no Bairro Canindezinho. Conforme o o Tribunal Regional Eleitoral no Ceará (TRE-CE), os mesários acionaram a Polícia Federal e o suspeito foi preso em flagrante.

Na sequência, o equipamento foi substituído e a votação na zona eleitoral ocorreu normalmente. Ainda segundo o TRE, o homem foi conduzido à Polícia Federal por agentes da Polícia Militar.

Capim

Ainda no Ceará, o agricultor Antônio Carlos do Nascimento Firmino, 24 anos, foi preso na manhã deste domingo, 28, após jogar um punhado de capim no meio da seção eleitoral de número 321, que funciona na, zona rural de Iguatu, em uma capela, e em seguida gritar contra o candidato à presidente da República Bolsonaro.

O Fórum Eleitoral de Iguatu e o delegado plantonista da Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu, Glauber Ferreira, confirmaram que o acusado danificou também um veículo do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Iguatu, de apoio, cedido à Justiça Eleitoral. “Ele quebrou a vidraça do carro e na delegacia apresentava sinais de embriaguez”, disse o delegado.

De acordo com o delegado, Glauber Ferreira, o acusado vai responder por dano ao patrimônio público e por crime eleitoral, causar tumulto, segundo o artigo 296 do Código Eleitoral. “Ele disse que protestou contra o candidato que teria uma vez insinuado que os nordestinos teriam que comer capim”, explicou.

Roupa rasgada

Em Palmas (TO), um eleitor foi levado para a sede da Polícia Federal após agredir um mesário na manhã deste domingo (28). O caso aconteceu na Escola Municipal Estêvão de Castro, no Jardim Aureny III, região sul da capital. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, ele compareceu para votar e apresentou o documento somente para a secretária, mas recusou a mostrar para o mesário. Militares do Exército foram chamados e os dois foram levados para o térreo do colégio.

Nesse momento, teria acontecido uma discussão e o homem rasgou a roupa do mesário. Ele foi contido pelos militares e por pessoas que estavam por perto. Os dois foram levados para a PF, onde foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por suposto crime de desacato. O mesário foi liberado após o caso.

Mesários morrem

No Rio de Janeiro, no Tijuca Tênis Clube, a mesária Andreia Cristina Duarte Gouveia, de 51 anos, morreu após sofrer um infarto. Ela era mesária da Seção 140, tinha 51 anos e sofreu um infarto.
O mesário João Carlos Félix, de 50 anos, também morreu vítima de um ataque cardíaco. Ele trabalhava na 156ª zona eleitoral, localizada no Centro Federal de Educação Tecnológica de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Mesária expulsa

A mesária Cassia Moro Bruel, uma mesária voluntária de Curitiba (PR), que atuava como presidente de mesa, foi dispensada do trabalho no período da tarde neste domingo por estar usando a camiseta com os dizeres “Lute como uma garota”. O modelo é mesmo utilizado pela candidata à vice-presidente, Manuela D’Ávila (PCdoB), na chapa do presidenciável Fernando Haddad (PT).