24 de setembro de 2018

João diz que não será pau mandado de ninguém, “muito menos de Ricardo”

Candidato foi o último entrevistado na CBN, nesta segunda.

 

João Azevêdo na CBN. Foto: Aline Oliveira

Apresentado como sucessor do governador Ricardo Coutinho (PSB), o candidato ao governo da Paraíba pelo PSB, João Azevêdo, disse que terá autonomia para administrar o estado, caso seja eleito. “Eu não serei pau mandado de quem quer que seja, muito menos de Ricardo Coutinho”, afirmou nesta segunda-feira (24), no encerramento da sabatina com os candidatos realizada pela CBN Paraíba.

A declaração foi uma resposta a perguntas de ouvintes, que questionaram que ele seria apenas um governador figurativo e que o estado seria, de fato, administrado pelo atual governador. “Só quem é candidato de si mesmo, talvez dos candidatos que aí estejam, é José Maranhão que é dono de partido, expulsou todo mundo e impôs ser candidato. Toda pessoa que se propõe e que coloca seu nome à disposição para uma disputa ele representa um partido, ele representa uma aliança de partido”, disse.

João Azevedo destacou que tem uma trajetória de vida pública para mostrar. “Eu tenho, e quem me conhece sabe, tenho uma trajetória e me preparei para isso. Quando muitos nem eram nascidos eu já era secretário em João Pessoa, em 1986. Eu me preparei para isto. Não que eu eu tivesse como meta estar na condição de governador. Eu não tenho isso como projeto pessoal, isso é projeto de um grupo e eu represento esse projeto, que tem 80% de aprovação na Paraíba. A população entendeu que não pode voltar ao atraso e nem pode cair na mão de algum incompetente”, completou.

Segurança

O candidato do PSB também foi questionado sobre segurança pública e assegurou que a Paraíba evoluiu muito e que deve melhorar ainda mais, caso seja eleito. “Sabemos as condições que a Paraíba vivia antes do governo do PSB. Tivemos que investir muito na infraestrutura e a partir disso se implantasse a política de segurança e isso conseguimos reduzir índices da violência”, afirmou.

João Azevêdo também criticou a política nacional, que compromete a estrutura das polícias nos estados. “Temos que mudar a legislação. Bandido não precisa cumprir a legislação da licitação, o governo tem que seguir uma série de leis para comprar armas como as ponto 50, que são usadas pelos bandidos. Além disso, a Paraíba prende 10 armas por dia e não pode usar essa arma porque ela não é permitida por lei”, criticou.

Temas polêmicos

José Maranhão também foi questionado sobre temas polêmicos no formato de pingue-pongue com a âncora da CBN, Patrícia Rocha. O candidato se posicionou totalmente contrário ao porte de armas por civis, ao uso das forças armadas para conter a segurança pública e ao aborto por ser “a favor da vida”. Se colocou a favor da legalização da maconha apenas para fins medicinais e a adoção de crianças por casais gays, mas defendeu que a identidade de gênero seja debatida com a família, antes das escolas.

João Azevedo também disse ser a favor da reforma da Previdência, desde que ela seja feita sem retirar direitos dos trabalhadores, e contrário a terceirização. Por fim, o candidato do PSB respondeu sobre taxação de igrejas e afirmou que a doação é iniciativa de cada um que não pode ser tributada e também disse ser contrário à interdição compulsória. “Temos que ter políticas públicas efetivas”, completou.

Entrevistas

A série de entrevistas com os candidatos foi iniciada com a sabatina ao candidato Tárcio Teixeira (PSOL), nesta segunda-feira (17), contou com a participação de Rama Dantas (PSTU) na terça-feira (18), e seguiram na quarta-feira (19) com o candidato ao governo da Paraíba pelo MDB, José Maranhão, e Lucélio Cartaxo, do PV, na quinta-feira (20).

A sabatina aconteceu sempre a partir das 10h. O conteúdo foi transmitido pela CBN João Pessoa e CBN Campina Grande, em rede. A entrevista contou com a participação de jornalistas da CBN, do Jornal da Paraíba e do G1. Haverá também a participação dos ouvintes.

A ordem dos entrevistados foi definida por meio de sorteio, com a presença de representantes de todos os partidos. Será uma grande oportunidade para que os eleitores paraibanos possam conferir as propostas dos postulantes. As sabatinas com os candidatos ao governo ocorre dias depois do fim da rodada de entrevistas com os postulantes ao Senado.

Veja a ordem das entrevistas dos candidatos ao Governo:

Dia 17 – Tárcio Teixeira (PSOL)
Dia 18 – Rama Dantas (PSTU)
Dia 19 – José Maranhão (MDB)
Dia 20 – Lucélio Cartaxo (PV)
dia 24 – João Azevêdo (PSB)

Veja a ordem dos candidatos ao Senado já entrevistados

Dia 3 – Cássio Cunha Lima (PSDB)
Dia 4 – Roberto Paulino (MDB)
Dia 5 – Nelson Júnior (PSOL)
Dia 6 – Nivaldo Mangueira (PSOL)
Dia 10 – Luiz Couto (PT)
Dia 11 – Veneziano Vital do Rêgo (PSB)
Dia 12 – Daniella Ribeiro (PP)