5 de outubro de 2018

Juiz manda PF abrir inquérito para apurar apreensão de material de campanha com número de títulos

Polícia deteve dois homens e aprendeu material de campanha no bairro de José Pinheiro, em Campina Grande.

 

JOSUSMAR BARBOSA

 

Em nota, deputado João Henrique e candidata a deputada dizem que não houve comprovação de ilicitude eleitoral

O juiz da 17ª Zona e Coordenador da Propaganda de rua, Horácio Ferreira de Melo Júnior, mandou a Polícia Federal abrir inquérito para apurar o caso envolvendo Lourival Tavares e Francivaldo de Oliveira. Eles foram detidos, na quinta-feira (4), em Campina Grande, com 52 números de títulos de eleitores e ainda material de campanha de dois candidatos nas eleições 2018, em Campina Grande.

O material de campanha apreendido é do deputado estadual e candidato à reeleição João Henrique (PSDB) e da candidata a deputada federal Edna Henrique (PSDB), durante a Operação Voto Seguro. A informação foi confirmada pela Polícia Militar da Paraíba. O flagrante ocorreu, no bairro José Pinheiro. Lourival e Francivaldo foram abordados por uma equipe da Rotam do 10º Batalhão da Polícia Militar (10ºBPM).

A Justiça Eleitoral foi comunicada e todo o procedimento foi acompanhado por um oficial de Justiça. Os dois encaminhados para Delegacia da Polícia Federal, ouvidos e liberados.  “Determinei que a Polícia Federal instaurasse inquérito para apurar o que realmente ocorreu e se há indícios de crime eleitoral ou não”, ressaltou Horácio Ferreira.

Nota do deputado

A assessoria do  deputado João Henrique e a candidata Edna Henrique publicou nota na qual parabenizam o trabalho das Polícias Federal e Militar e garantem que nada foi constatada nenhuma ilicitude. Veja a nota abaixo:

“Na tarde desta quinta-feira (4), em Campina Grande, um veículo particular foi abordado pela Polícia Militar, e nele foram encontrados volantes de propaganda eleitoral lícita de Edna e João Henrique.

O motorista foi levado à presença do delegado PF competente, que, ao constatar a ausência de qualquer ato ilícito, o liberou.

A assessoria dos candidatos tranquilizou o eleitorado no sentido de que eles não cometeram nenhuma ilicitude, e reafirmou o propósito de ambos de fazer um pleito propositivo, com discussão dos assuntos realmente relevantes para a população da Paraíba”.

Já Lourival Tavares e Francivaldo de Oliveira foram procurados pela reportagem do Jornal da Paraíba, mas não foram encontrados.

Operação Voto Seguro

A operação foi deflagrada, na quinta-feira, em Campina Grande, com a participação de juízes eleitorais, forças de segurança e de trânsito que atuam na cidade. A intenção é reforçar a segurança na cidade e prevenir e combater crimes eleitorais.