10 de setembro de 2018

Luiz Couto defende constituinte exclusiva para reforma na segurança pública

Candidato ao Senado pelo PT foi entrevistado pela CBN nesta segunda.

 

Foto: Aline Oliveira

O deputado Luiz Couto, candidato ao Senado pelo PT, defendeu que seja realizada um constituinte exclusiva para promoção de uma reforma efetiva na segurança pública em todo o país. A sugestão foi apresentada nesta segunda-feira (10), durante sabatinado realizada pela CBN Paraíba, em resposta à fuga de 105 presos do presídio de segurança máxima PB-1, em João Pessoa, nesta madrugada.

“É preciso mudar o sistema penal. Hoje a responsabilidade é do estado que não tem as condições. A União manda o dinheiro e não é aplicado como deveria ser. Defendo uma constituinte com plebiscito antecipado para ouvir a população e as pessoas eleitas elaborarem a constituição porque se ficar no Congresso no outro dia será mudado”, comentou Couto.

O deputado disse que há um grupo de trabalho na Câmara Federal trabalhando para mudança no Código Penal, mas que há setores com interesses difusos que impediriam o andamento do projeto. “Tem interesses de setores que têm o rabo preso e não querem que a legislação mude. Temos muitas leis que precisam ser revisadas porque pegar e colocar alguém preso por um pequeno crime com traficantes que dominam ou ele vai acabar envolvido com o tráfico ou assassinado”, completou.

Lula e corrupção no PT

Congressista do PT, Luiz Couto foi questionado sobre o envolvimento do seu partido nas denúncias de corrupção e cobrado por não ter levado à tonas tais fatos, tendo em vista que se posiciona contra a corrupção. “Temos companheiros nossos que se lambuzaram. Quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Somos humanos e podemos cometer erros a cada momento e o importante é que façamos o processo de conversão e consertemos nossos erros”, afirmou.

Segundo Couto, a boa parte da base aliada de Lula no Congresso Nacional era, na verdade de pessoas que estavam lá por interesses. “Quando havia um projeto de interessa da população a chantagem aparecia. Não vota se não assegurar a indicação numa empresa. Eduardo Cunha, por exemplo, se montou num projeto que só conseguiu liberá-lo quando foi apresentado um indicado dele na empresa de energia elétrica. Por isso eu defendo que seja indicado pessoas do quadro. O problema é que o germe da corrupção esta impregnado em todas a classes”, revelou.

MST e Reforma Agrária

O petista também foi interpelado pelos ouvintes da CBN devido a sua defesa às manifestações como as realizadas por entidades como o Movimento dos Sem Terra em prol da reforma agrária, que fecha estradas e rodovias. “É importante que a gente tenha uma visão ampla do que acontece. A baderna acontece no momento e quando você está fora daquilo que a legislação específica determina”, ponderou.

Ainda segundo Couto, “neste aspecto, eu considero que é um direito que o cidadão tem de pleitear seus direitos. A política tem que ser feita baseada no diálogo. É preciso ter política de estado porque o cidadão paga e quer que ele seja revertido em benefício de toda a sociedade. Baderna é querer ter saúde e não tem, o direito profundo do cidadão que ele é quem nos elege e não é valorizado”, disse.

Entrevistas

A sabatina teve início nesta segunda-feira (3), com entrevista ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que disputa a reeleição. Na terça-feira (4), foi a vez do ex-governador Roberto Paulino, que é candidato único ao Senado pelo MDB. Já na quarta-feira (5), quem participou da rodada de entrevistas foi o professor Nelson Junior (PSOL), candidato ao Senado pelo PSOL, e no dia seguinte, na quinta-feira (6), foi a vez do colega de chapa, Nivaldo Mangueira (PSOL).

As entrevistas ocorrem em rede, a partir das 10h, e são transmitidas pela CBN João Pessoa e pela CBN Campina Grande, com perguntas formuladas por âncoras e colunistas. Há também a participação dos ouvintes.

Assim como os senadores, a CBN vai sabatinar também os candidatos ao governo do Estado. Serão 40 minutos de entrevista, descontados os intervalos. Pela ordem, o primeiro a participar será o candidato ao governo da Paraíba pelo PSOL, Tárcio Teixeira.

A ordem dos entrevistados foi definida por meio de sorteio, com a presença de representantes de todos os partidos. Será uma grande oportunidade para que os eleitores paraibanos possam conferir as propostas dos postulantes.

Veja a ordem das entrevistas dos candidatos ao Senado:

Dia 3 – Cássio Cunha Lima (PSDB)
Dia 4 – Roberto Paulino (MDB)
Dia 5 – Nelson Júnior (PSOL)
Dia 6 – Nivaldo Mangueira (PSOL)
Dia 10 – Luiz Couto (PT)
Dia 11 – Veneziano Vital do Rêgo (PSB)
Dia 12 – Daniella Ribeiro (PP)

Veja a ordem das entrevistas dos candidatos ao Governo:

Dia 17 – Tárcio Teixeira (PSOL)
Dia 18 – Rama Dantas (PSTU)
Dia 19 – José Maranhão (MDB)
Dia 20 – Lucélio Cartaxo (PV)
dia 24 – João Azevêdo (PSB)