4 de setembro de 2018

Roberto Paulino faz duras críticas a Temer e diz que tem ‘quedinha pela esquerda’

Candidato ao Senado foi sabatinado pela CBN, nesta terça.

 

Angélica Nunes

 

Candidato único ao Senado pelo MDB, o ex-governador Roberto Paulino fez duras críticas ao presidente Michel Temer (MDB) e admitiu que tem uma ‘quedinha pela esquerda’. Com mais de 40 anos de vida pública, filiado ao MDB (ex-PMDB), e há 15 anos fora da política, Roberto Paulino foi o entrevistado desta terça-feira (4) na sabatina da CBN Paraíba com os candidatos ao Senado.

O emedebista revelou descontentamento com as alianças firmadas pelo presidente Michel Temer com os partidos do Centrão para se manter no poder. “Eu não concordava com as más companhias que o presidente Temer tinha. Hoje o Centrão, que está enraizado na Paraíba e em Alagoas, que manda e desmanda, vendem e compram o Brasil”, comentou.

Para Roberto Paulino, se naquele processo de desgaste do governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Temer tivesse aguardado, poderia ter feito um governo mais popular, assim como foi o de Itamar Franco após o impeachment da ex-presidente Fernando Collor. “Ele não procurou ser um presidente popular porque a maneira como feito o processo do impeachment, Dilma estava fraca e ela ia deixar naturalmente (o governo). Ele poderia ter sido um Itamar Franco, que poderia ter assumido pela porta da frente”, afirmou.

Reformas impopulares

O candidato ao Senado disse que pretende rever as reformas aprovadas pelo Congresso Nacional logo após o impeachment de Dilma Rousseff. “Esse é um assunto que nós devemos discutir. Está na hora do Brasil, a partir de janeiro a gente repensar o Brasil. Nunca pensei que iria chegar neste estágio e temos que reavaliar”, disse.

Para o emedebista, os políticos que votaram as mudanças não têm autoridade para analisar a matéria, muito menos Temer teria para sancioná-las. “Fizeram a toque de caixa. Quem fez não tinha autoridade para fazê-la, o Congresso como está não tem autoridade para fazer isso. Os eleitos de agora que deveriam fazer. Quem fez aquilo foi o Centrão. Infelizmente o Brasil está desnorteado”, reiterou.

Aborto e Maconha

Roberto Paulino também foi questionado sobre temas polêmicos que estão em pauta no Congresso Nacional, como a descriminalização do aborto e a legalização da maconha. Apesar de ser contra os dois temas, o emedebista disse estar aberto ao diálogo. “Sou católico e preservo a vida, mas devemos fazer um amplo debate e ouvir ou a favor e contra”, completou.

Com relação à maconha, Roberto Paulino entende que a liberação poderia ser a porta para outras drogas, apesar de concordar que também seja feito um debate maior sobre o assunto.

Entrevistas

A sabatina teve início nesta segunda-feira (17), com entrevista ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que disputa a reeleição. A rodada de entrevistas segue nesta quarta-feira (5), com Nelson Junior, candidato ao Senado pelo PSOL. As entrevistas ocorrem em rede, a partir das 10h, e são transmitidas pela CBN João Pessoa e pela CBN Campina Grande, com perguntas formuladas por âncoras e colunistas. Há também a participação dos ouvintes.

Assim como os senadores, a CBN vai sabatinar também os candidatos ao governo do Estado. Serão 40 minutos de entrevista, descontados os intervalos. Pela ordem, o primeiro a participar será o candidato ao governo da Paraíba pelo PSOL, Tárcio Teixeira.

A ordem dos entrevistados foi definida por meio de sorteio, com a presença de representantes de todos os partidos. Será uma grande oportunidade para que os eleitores paraibanos possam conferir as propostas dos postulantes.

 

Veja a ordem das entrevistas dos candidatos ao Senado:

Dia 3 – Cássio Cunha Lima (PSDB)
Dia 4 – Roberto Paulino (MDB)
Dia 5 – Nelson Júnior (Psol)
Dia 6 – Nivaldo Mangueira (Psol)
Dia 10 – Luiz Couto (PT)
Dia 11 – Veneziano Vital do Rêgo (PSB)
Dia 12 – Daniella Ribeiro (PP)

Veja a ordem das entrevistas dos candidatos ao Governo:

Dia 17 – Tárcio Teixeira (Psol)
Dia 18 – Rama Dantas (PSTU)
Dia 19 – José Maranhão (MDB)
Dia 20 – Lucélio Cartaxo (PV)
dia 24 – João Azevêdo (PSB)