8 de outubro de 2018

Veja o perfil da nova bancada da Paraíba na Câmara Federal

Dos doze eleitos, há apenas quatro estreantes na Casa.

 

Angélica Nunes

Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

O resultado das eleições deste domingo (7) demonstrou renovação de 50% da bancada da Paraíba na Câmara Federal. Apesar disso, das seis mudanças de cadeiras, apenas quatro serão ocupadas por nomes que chegam pela primeira vez à Brasília. Outros já são conhecidos da população, que retornam à Casa, como Wilson Santiago e Ruy Carneiro, respectivamente, presidentes estaduais do PTB e do PSDB na Paraíba, mas há candidatos que chegam pela primeira ao legislativo federal.

Das doze cadeiras destinadas ao estado, pelo menos seis continuam ocupadas por parlamentares atualmente com mandato. Detalhe é que todos são presidentes ou lideranças partidária: Aguinaldo Ribeiro (PP), Wellington Roberto (PR), Hugo Motta (PRB), Pedro Cunha Lima (PSDB) e Efraim Filho (DEM).

Confira abaixo o perfil de algumas novidades:

Gervásio Maia

Grande aposta do PSB para conseguir espaço na Câmara Federal, a grande novidade da eleição é a eleição do deputado estadual Gervásio Maia como o mais votado neste domingo. Ele ficou em primeiro lugar no pleito com 146.860 (7,38%) dos votos do eleitorado paraibano. Atualmente na condição de presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Gervásio Maia exerceu três mandatos seguidos como deputado estadual.

Edna Henrique

Outra novidade é a chegada de Edna Henrique (PSDB), única mulher da nova safra de deputados federais paraibanos. Na eleição deste ano, ela ficou em penúltimo lugar com 69.935 (3,52%) dos votos do eleitorado da Paraíba.

Edna Henrique foi prefeita de Monteiro, no Sertão paraibano, por dois mandatos, entre 2008 a 2016. Edna é esposa do deputado João Henriques e tem forte adensamento eleitoral na região do Sertão paraibano, onde tem negócios.

Julian Lemos

Primeira vez numa disputa eleitoral, mas também presidente estadual de partido, Julian Lemos, do PSL, foi uma das novidades da nova bancada. Empresário, ele é vice-presidente nacional do PSL e ficou conhecido ao assumir a coordenação da campanha do presidenciável Jair Bolsonaro no Nordeste. Acabou se elegendo em 10º com 71.899 votos, levantando bandeiras do movimento direitista, como uma pauta conservadora-cristã.

Wilson Santiago

Em pelo menos dois casos, apesar de ter havido substituição, em tese a troca é quase nenhuma. Um deles é o caso da saída do deputado Wilson Filho para a chegada do pai, Wilson Santiago. Ex-senador da Paraíba, Wilson Santiago foi deputado estadual por dois mandados consecutivos (1995 a 2003) e deputado federal entre 2003 a 2011.

Em seu primeiro mandato como deputado federal, Wilson Santiago foi eleito com 99.941 votos, conquistando o posto de deputado mais votado entre os eleitos de seu estado e, em seu segundo mandato, foi eleito com 163.661 votos, sendo o segundo mais votado.

Frei Anastácio

O outro caso é a troca de nomes no núcleo petista. Com a saída do deputado Luiz Couto, que desistiu da disputa à Câmara Federal pela disputa ao Senado, quem acabou se elegendo com o espólio do eleitorado do padre foi outro clérigo, o deputado estadual Frei Anastácio.

Ligado aos movimentos de trabalhadores rurais, Anastácio foi eleito deputado estadual na Paraíba, pela primeira vez, em 1998, sendo reeleito em 2002. Nas eleições de 2006, não conseguiu se reeleger novamente, mas voltou a se candidatar em 2010, sendo eleito para o 3º mandato, e nas eleições de 2014 foi mais uma vez reeleito, desta vez para o seu 4º mandato na Assembleia Legislativa da Paraíba.

 

Eleitos em 2018
(por ordem de votação)

Gervásio Maia (PSB)

Aguinaldo Ribeiro (PP)

Wellington Roberto (PR)

Damião Feliciano (PDT)

Hugo Motta (PRB)

Frei Anastácio (PT)

Wilson Santiago (PTB)

Pedro Cunha Lima (PSDB)

Efraim Filho (DEM)

Julian Lemos (PSL)

Edna Henrique (PSDB)

Ruy Carneiro (PSDB)