26 de outubro de 2018

Votação mobiliza cerca de 2 milhões de mesários no país

O segundo turno das eleições 2018, neste domingo (28),   devem mobilizar cerca de dois milhões de mesários em todo o país, tendo a metade deles se oferecido para o trabalho de maneira voluntária. O mesário é o representante da Justiça Eleitoral na seção de votação. Cabe a ele receber e identificar os eleitores – seja pela verificação de documentos e coleta de assinaturas, seja pela verificação biométrica –, compor as mesas de votos e justificativas, fiscalizar e desempenhar tarefas logísticas e de organização da seção para a qual foi designado.

Para atuar como mesário, o escolhido recebe treinamentos específicos e orientações de técnicos da Justiça Eleitoral, que o prepara para atuar no dia das eleições. A cada eleição, a Justiça Eleitoral convoca eleitores maiores de 18 anos e em situação regular para atuar no dia da votação.

A convocação exclui candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, e seu cônjuge; membros de diretórios de partidos políticos, desde que exerçam função executiva; autoridades, agentes policiais e funcionários no desempenho de funções de confiança do Executivo; e funcionários do serviço eleitoral.

O eleitor que atua como mesário, além de contribuir para a realização das eleições, tem direito à dispensa do serviço pelo dobro de dias e ao desempate em concursos da Justiça Eleitoral, quando prevista essa possibilidade no edital.

Programa Mesário Voluntário

Para ampliar a participação de mesários voluntários nas eleições, a Justiça Eleitoral criou o Programa Mesário Voluntário, que incentiva a adesão aos serviços eleitorais de maneira consciente e espontânea. Desde 2004, são desenvolvidas ações para estimular a cooperação do cidadão com a realização das eleições. Os interessados podem buscar mais informações nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais ou com a Ouvidoria do TSE.

Treinamento

O treinamento de mesários ocorre nas modalidades presencial e à distância. Neste ano, a Justiça Eleitoral preparou cerca de 205 mil mesários por meio de curso à distância. Quem trabalhar na eleição também poderá utilizar o aplicativo Mesário, ferramenta que disponibiliza informações complementares ao treinamento e pode ser obtida gratuitamente nas lojas Google Play e Apple Store. Criado em 2016, o App reúne informações para quem foi convocado ou se voluntariou para atuar nas eleições.

A ferramenta – que está com nova interface neste ano – permite acesso direto a todas as informações de interesse dos mesários de modo rápido e intuitivo, responde a dúvidas que possam surgir e ainda oferece links de acesso para conteúdos on-line e off-line, como manuais e vídeos de treinamento, passo a passo para o dia da eleição e uma série de perguntas e respostas para orientar a atuação do mesário. Pelo App, também são enviadas notificações, avisos e alertas dos TREs. Após as eleições, o mesário tem acesso a um formulário para feedback à Justiça Eleitoral.

Orientações para o segundo turno

Com o objetivo de preservar o bom andamento da votação no dia do segundo turno do pleito, a Justiça Eleitoral elaborou um manual contendo recomendações adicionais aos mesários. Uma delas se refere a eventuais casos de relatos de problemas relativos ao funcionamento da urna eletrônica na hora de votar e está prevista nas Orientações Conjuntas nº 01/2018 e nº 02/2018, fixadas conjuntamente pelo TSE e pelo Ministério da Segurança Pública (MSP).

Segundo o folder, nessas hipóteses, o mesário deve, entre outros, registrar a ocorrência em ata com a identificação do eleitor, a descrição da urna e a situação apresentada. Também deve informar ao eleitor que, sempre que constar da ata algum registro de irregularidade ou mau funcionamento da urna, os cartórios eleitorais lançarão essas ocorrências no aplicativo Pardal para smartphones e tablets.

Além disso, o mesário deve informar que o próprio eleitor pode registrar sua queixa no Pardal, até as 19h do dia da eleição, nos demais canais disponibilizados pela Justiça Eleitoral, como a Ouvidoria do TSE e o Disque-Eleitor (onde houver), e diretamente nos cartórios eleitorais. As denúncias serão enviadas ao Ministério Público Eleitoral e/ou ao juiz eleitoral da localidade, e poderão ser acompanhadas pelo eleitor por meio do número de protocolo gerado pelo aplicativo.

Manual

O manual ainda traz recomendações ao mesário sobre a organização das filas, os eleitores prioritários e a identificação do eleitor, uma vez que estas eleições são as primeiras com o uso do e-Título e do Documento Nacional de Identidade (DNI). A atenção para o posicionamento correto dos dedos do eleitor no momento da identificação biométrica (pelas digitais) é outra importante instrução contida no manual.

O livreto também orienta o mesário a fornecer dicas úteis aos eleitores, como ficar atento à ordem de votação no segundo turno, ou seja: 1º cargo – governador (se houver); 2º cargo – presidente; e 3º cargo – prefeito (se houver eleição suplementar). Por fim, o manual destaca que é importante lembrar o eleitor que ele só deve apertar a tecla “Confirma” após aparecer a foto do candidato escolhido e a do seu vice.

Dias trabalhados

Os mesários que trabalharam no primeiro turno das Eleições 2018 já podem obter, no Canal do Mesário, a “Declaração de dias trabalhados”, documento que comprova a atuação no dia da votação e garante o direito de folga em dobro pelo dia trabalhado. O serviço é inédito e proporciona maior agilidade para a obtenção do documento.

Para a obter a declaração via internet, o mesário precisa ter feito o registro de presença no terminal do mesário da urna eletrônica, tanto no início quanto no encerramento dos trabalhos. Nas demais eleições, os mesários só conseguiam o documento nos cartórios eleitorais, que também continuarão fornecendo o documento.